Skydiving com guarda-chuva e outros pensamentos

Eu imagino que todo mundo, pelo menos uma vez na vida, pensaram sobre como seria pular de um prédio usando um guarda-chuva como paraquedas. Eu certamente pensei sobre isso mais de uma vez. Eu lembro que alguém me contou que quando era criança, ela pegou um boneco que tinha e amarrou um paraquedas feito de saco plástico e jogou pela janela. Infelizmente o boneco foi levado pelo vento e perdido, mas a idéia de reduzir a velocidade da queda livre é uma daquelas idéias que todo mundo já teve em algum momento mas que acaba sendo esquecida ao longo do tempo, conforme outras preocupações e idéias começam a se formar com o passar do tempo.

umbrella-skydive

Por sorte, nem todos esquecem os sonhos e idéias de quando eram mais novos e alguns dos que não esquecem têm (ou criam) a chance de realizar algumas delas. Algumas idéias são facilmente testáveis, outras não. Essa experiência com guarda-chuva não deve ser realmente fácil de testar, acredito eu. Seria mais prudente pular de um avião, estando equipado para um salto de paraquedas então você precisaria ser um paraquedista credenciado. Além disso, eu não sei sobre o processo legal necessário. Eu acredito que a maioria dos órgãos que regular o espaço aéreo e a prática de paraquedismo não permitiriam que as pessoas jogassem carros e outros objetos livremente em seus saltos. É bom que você tenha consciência dos riscos, porque pode ser bem perigoso, além de ter certeza de estar realizando o salto em uma região deserta porque você não quer ser o responsável pela morte de algumas pessoas atingidas por objetos caindo do céu.

De qualquer forma, algumas idéias nem precisam ser testadas para sabermos o resultado. Saltar em queda livre apenas com um guarda-chuva é uma delas. Mas isso não faz com que o experimento seja menos interessante! Pelo menos é o que eu acho e parece que não sou o único. Sim, um rapaz chamado Erik Roner pensou que seria legal realizar essa experiência e ele até resolveu gravar a execução. Talvez algum cientista possa usar a gravação para colher alguns dados? Não sei. Mas o experimento foi gravado e compartilhado na internet.

E o resultado foi o esperado. O guarda-chuva não resistiu ao fluxo de ar e quebrou. Divertido, mas esperado. E não, você não vai poder dar uma de Mari Poppins. Se você quer fazer algo relacionado ao filme, é melhor você ficar com a parte das danças e das músicas, não com a parte de voar com um guarda-chuva.

Os motivos que levaram ao resultado são a qualidade da estrutura do guarda-chuva e o tecido. Problemas simples de serem resolvidos. Faça uma estrutura mais forte, mas ao mesmo tempo leve (talvez titânio) e usar um tecido reforçado. Para se livrar da possibilidade de quebra da estrutura, você pode decidir não utilizá-la e encontrar uma outra solução para prender o tecido ao cabo, que deve ser feito de modo a maximizar a empunhadura. Não queremos o guarda-chuva deslizando de nossas mãos enquanto estamos em queda livre!

Talvez seja preferível se livrar do cabo também, para evitar a possibilidade dele escorregar pelas mãos, basta pensar em um jeito de prender o tecido diretamente ao corpo. Ops, espere. Isso é bem parecido com um paraquedas…

Bom, talvez seja assim que as pessoas se inspiraram para desenvolver o paraquedas? Parece que os chineses pensaram nessa relação há um bom tempo atrás.

One thought on “Skydiving com guarda-chuva e outros pensamentos

  1. Pingback: Umbrella skydiving and some thoughts | EDSM

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *